penthouse

Os itens que não podem faltar na bagagem de um esquiador

Ao longo da carreira de mais de duas décadas, o esquiador Bode Miller faturou mais medalhas olímpicas (seis) do que qualquer outro norte-americano, além de ter levado a Copa do Mundo duas vezes. Seu mais novo projeto, o BEYOND by Bomber, é um programa de adesão que oferece experiências exclusivas de esqui e serviços de valet.

Aos 41 anos, embora não participe mais de competições (ele se aposentou em 2017, três anos após se tornar o atleta mais velho a ganhar uma medalha na categoria de esqui alpino nos Jogos), ainda ama o esporte, e leva dois pares de esquis para onde quer que vá. “Quando ainda competia, geralmente viajava para participar de quatro eventos ao mesmo tempo, então carregava uns cem pares. Se tentasse reduzir um pouco, ficava entre 65 e 70.”

Um de seus lugares favoritos fica na Itália, e fora do circuito: Paganella. “É um daqueles cantinhos de que ninguém nunca ouviu falar, só quem por acaso mora ao sul dos Alpes. Como fica encravado nas montanhas, as elevações mudam drasticamente. Sem contar que é de uma beleza inacreditável, com lago, uma paisagem incrível e um terreno excelente.”

Nos EUA, sua preferência recai sobre Jackson Hole. “Embora seja muito conhecido, é um verdadeiro tesouro”, diz ele, recomendando o local para quem gosta de desafios. “Na maioria dos lugares, o espaço a que se tem acesso via teleférico é bem limitado, a menos que você esteja disposto a caminhar, escalar ou subir de helicóptero. Em Jackson, é só se sentar na cadeirinha e subir que está tudo lá, inclusive as cornijas nas rampas estreitas, coisas a que só se teria acesso voando. É simplesmente incrível poder aproveitar tanta coisa só na base da cadeirinha.”

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email